24/08/2023 às 19h37min - Atualizada em 27/08/2023 às 00h00min

Lobo-guará passa por avaliação veterinária antes de ser devolvido à natureza

Equipe de veterinários participou da captura e avaliação do animal

JOAO ALECIO MEM
www.memcomunicacao.com.br
Larissa Ruas


Policiais do 11º Batalhão da Polícia Militar de Campo Mourão, região Noroeste do Paraná, receberam uma visita diferente na madrugada desta quinta-feira (24/08). Um lobo-guará – animal silvestre ameaçado de extinção - foi avistado pela manhã entre as viaturas da guarnição. Acuado pelos cães que vivem no pátio do batalhão, o animal se aproximou da área administrativa, onde acabou cercado pelos policiais que acionaram os órgãos ambientais para o resgate adequado.

Acionada pelo Instituto Água e Terra (IAT) e Polícia Ambiental, a equipe do Centro Veterinário Integrado, pertencente ao Centro Universitário Integrado, em Campo Mourão, participou do resgate do animal que é o maior canídeo (mamíferos carnívoros que englobam lobo, cão e raposa) da América do Sul e pode chegar a 30 quilos.

Avaliações de saúde

Segundo o professor Rafael Pinheiro, anestesista do Centro Veterinário Integrado, após a captura o lobo-guará foi conduzido ao centro veterinário sem a necessidade de sedação. Após ingresso na clínica é que foi realizada uma contenção química com anestésico para avaliação, a fim de não correr nenhum risco do animal se machucar ou passar por estresse. Pinheiro destaca que “é uma satisfação poder trabalhar numa ação que objetiva devolver à natureza – em segurança – animal tão especial”. O professor conta que o lobo-guará era um macho de 26 quilos, muito saudável, e uma espécie rara na região.

Como explica a coordenadora do curso de Medicina Veterinária do Integrado, professora Camila Mottin, o animal passou por exame de sangue, radiográfico, de fezes e urina. Apto para a soltura, foi encaminhado pelas equipes ambientais à uma área de reserva ambiental onde poderá seguir seu ciclo de vida em liberdade.

Camilla destaca que esta é a segunda oportunidade vivida pela equipe do Centro Veterinário Integrado com animais silvestres em 2023. “A primeira ocorreu em março quando tivemos a satisfação de receber uma onça parda resgatada em Engenheiro Beltrão”, complementa.

Os especialistas do Centro Veterinário Integrado orientam que em casos semelhantes – de encontro de animais silvestres em povoamentos rurais ou em área urbana -  a população deve acionar a Polícia Ambiental e nunca jogar água ou pedra para afugentar o animal. Isso pode aumentar o estresse e o animal pode se tornar agressivo para se defender.  

Saiba mais sobre o lobo-guará

Dependendo da região, o lobo-guará também pode ser chamado guará, aguará, aguaraçu, lobo-de-crina, lobo-de-juba e lobo-vermelho. Ele é uma espécie de canídeo endêmico da América do Sul e suas marcas lembram as de uma raposa.

Mamífero, é um dos animais silvestres que constam na lista dos ameaçados de extinção no Brasil. Ao contrário de outras espécies de lobo que vivem em matilha, o lobo-guará é um animal de hábito solitário. Seu bioma é o Cerrado brasileiro. Vive em regiões abertas, como campos e matas de capoeira. Seu pelo é amarelo-alaranjado, com as patas e o focinho pretos. O pescoço é branco, assim como a ponta do rabo e dentro das orelhas compridas.

Considerado a maior espécie de canídeo das Américas, o lobo-guará não é agressivo. Ele é apenas curioso e, devido a drástica redução de seu habitat natural, pode se aproximar das povoações e áreas urbanas.


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Notícias Relacionadas »
Quer anunciar e
posicionar melhor
sua marca?
Clique para
divulgar já!🤝
Atendimento
Fale conosco pelo WhatsApp agora!