29/08/2023 às 15h22min - Atualizada em 30/08/2023 às 00h03min

CPI das Pirâmides Financeiras ouve Saulo Roque, peça-chave para desvendar golpe de bilionário

Depoimento de acusado pelos líderes da MSK Invest de roubo que inviabilizou sequência de pagamento será fundamental

MP News
Arquivo pessoal


Nesta quarta, 30, Saulo Roque, ex-funcionário da MSK Invest, empresa acusada de aplicar um golpe de R$ 1 bilhão em mais de 3,5 mil pessoas, irá depor na CPI das Pirâmides Financeiras. Roque foi acusado de roubo de R$ 400 milhões em criptomoedas pelo líder da companhia, Glaidson Tadeu Rosa durante seu depoimento da CPI, colhido há uma semana.
O fundador da MSK usou como estratégia de defesa colocar a culpa do calote nos investidores no funcionário que, segundo Rosa, teria se apropriado de todas as criptomoedas da empresa, inviabilizando, desde o final de 2021, o pagamento às pessoas que investiram seus recursos na companhia, o que logo se transformou em suspeita de golpe da pirâmide financeira.

“Trata-se de um depoimento chave para esclarecer os fatos e responsabilizar os únicos responsáveis pelo golpe, os fundadores da MSK. O material que será apresentado na CPI, incluindo documentos e comprovantes de transferências, auxiliará os parlamentares a perceber que o que foi apresentado por Glaidson é uma teia de mentiras e de contradições”, destaca advogado Jorge Calazans, do Escritório Calazans e Vieira Dias, que acompanhará o depoimento de Saulo Roque nesta quarta, na CPI. 

A figura de Saulo Roque

Saulo Roque não é apenas uma figura central na MSK Invest, mas também emerge como o principal ator nos bastidores da STM Operações, uma empresa baseada em Embu das Artes, na Grande São Paulo. De maneira surpreendente, Saulo Roque, ligado ao caso da MSK Invest, também é revelado como o elo fundamental por trás da STM.
“Essa conexão lança luz sobre uma escolha que beira o inusitado: a MSK Invest optou por contratar alguém com um histórico suspeito para gerir os recursos de seus clientes”, alerta Calazans.

Para o advogado, “essa narrativa obscura adquire ainda mais complexidade quando se observa que Saulo Roque, sempre relacionado a esquemas duvidosos, emerge como protagonista em uma operação chamada STM Operações, que prometia lucros excepcionais de até 31% por mês. Em meio a essa trama intrincada, surge uma pergunta de peso: por que a MSK Invest, ciente das suspeitas que rondam Saulo Roque, tomaria a decisão arriscada de colocá-lo no comando dos recursos dos clientes? Essa contratação lança dúvidas profundas sobre as práticas de conformidade e due diligence da empresa, revelando uma negligência perturbadora ou até mesmo motivos ocultos por trás dessa escolha”.
O avanço da CPI é fundamental para trazer respostas a essas perguntas e desvendar as teias de mentiras que obscurecem a realidade, “de modo a garantir que as vítimas recebam as respostas e o esclarecimento que merecem”, conclui Calazans.

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Notícias Relacionadas »
Quer anunciar e
posicionar melhor
sua marca?
Clique para
divulgar já!🤝
Atendimento
Fale conosco pelo WhatsApp agora!