26/10/2023 às 10h23min - Atualizada em 27/10/2023 às 00h03min

Não existe democracia sem mulheres negras na política: a importância da representatividade

Para alcançar uma verdadeira democracia, é fundamental criar oportunidades e remover obstáculos que permitam que mulheres negras participem plenamente na política

Conceição Arruda
Conceição Arruda, vereadora mais votada da história de Sabará. Bacharel em Gestão Pública, atuou na área da saúde por mais de 30 anos. @conceicaoarruda
Acervo Pessoal


 

É crucial a participação da mulher negra na política, a representatividade é essencial em qualquer sistema democrático, pois garante que todas as vozes e perspectivas da sociedade sejam ouvidas e consideradas nas decisões políticas. As mulheres, em geral, já enfrentam dificuldades no cenário político, para as negras ainda é mais difícil. De acordo com o IBGE, há apenas 2% de mulheres negras no Congresso Nacional.

 

Uma democracia saudável deve refletir a diversidade da população, e as mulheres negras compõem uma parcela significativa dessa diversidade. “A representatividade de mulheres negras na política pode levar a uma maior atenção a questões que frequentemente são negligenciadas, como o combate à violência racial, a promoção da igualdade salarial e o acesso a serviços de saúde de qualidade. Além de servir como uma fonte de inspiração para as gerações futuras, incentivando mais mulheres negras a buscar carreiras na política e na liderança”, afirma Conceição Arruda, a vereadora mais votada da história de Sabará.

 

Quanto mais mulheres estiverem em espaços de liderança ou que na prática são ocupados somente por homens, mais poderão impactar outras mulheres a se inspirarem e buscarem ocupar esses espaços. “Além disso, temos lugar de fala e sensibilidade para criar projetos e ações que podem melhorar a qualidade de vida, segurança e saúde de muitas mulheres”, ressalta Conceição. Dessa forma, valorizar e apoiar a participação das mulheres negras na política é essencial para criar sociedades mais justas e igualitárias, onde todas as vozes são ouvidas e todas as pessoas têm a oportunidade de participar plenamente do processo político.

 

Desafios enfrentados por Conceição Arruda por ser uma mulher negra na política 

 

Ela conta que enfrentou inúmeros desafios no início de sua carreira política. “Ser mulher e mulher negra foi uma das primeiras barreiras. No início da minha trajetória política era visível a diferença de tratamento e a dificuldade de encontrar um partido que quisesse me receber. Além disso a situação financeira foi um grande desafio, pois eu não tinha recursos próprios e também não recebi investimento por parte do partido ou doadores, ou seja, fazer campanha sem dinheiro é muito difícil e eu sempre entendi que não deveria me endividar para tal e assim fiz as campanhas com o mínimo de dinheiro, muitas vezes sem material”, relembra.

 

Apesar das dificuldades, a vereadora comenta sobre os momentos-chave que impulsionaram a  sua trajetória de sucesso. “Um deles foi quando muitas pessoas me paravam e falavam sobre como eu as ajudei em algum momento da vida e o quanto para elas seria importante que eu estivesse na política, fazendo o mesmo para toda a população. O outro foi quando entrei para o meu curso de graduação e pude ampliar meus conhecimentos”, destaca. 



 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Notícias Relacionadas »
Quer anunciar e
posicionar melhor
sua marca?
Clique para
divulgar já!🤝
Atendimento
Fale conosco pelo WhatsApp agora!