20/12/2023 às 10h10min - Atualizada em 25/12/2023 às 00h02min

Carro "bebe" muito? Confira dicas para economizar combustível

Especialista explica como pequenas mudanças no volante podem eliminar gastos, melhorar a eficiência e reduzir emissões

Central Press
Envato Imagens


Você sabia que o consumo de combustível está diretamente ligado à maneira como se dirige? O peso no bolso dos brasileiros é considerável. De acordo com um estudo do Indicador de Poder de Compra de Combustíveis, calculado pela Fipe com base em dados da PNAD Contínua (IBGE) e divulgado pelo Panorama Veloe de Indicadores de Mobilidade, encher o tanque do carro no segundo trimestre de 2023 consumiu até 12,1% da renda das famílias brasileiras. 

Diante desse cenário, o aplicativo de mobilidade urbana V1 elaborou uma lista de dicas para ajudar os motoristas a gastarem menos durante seus deslocamentos. “Os gastos com combustíveis são difíceis de serem reduzidos, pois  são despesas essenciais. No entanto, algumas práticas podem contribuir para a economia e a otimização do uso do combustível, seja gasolina, álcool ou diesel”, explica o especialista do V1, Alexsandro Laures. 

  • Manutenção em dia

A primeira e principal orientação para economizar combustível no dia a dia é manter o veículo em boas condições. Para isso, é essencial estar com a manutenção em dia, principalmente no que diz respeito à injeção eletrônica, bobina, distribuidor, vela e cabo de ignição. “Oriento ainda verificar regularmente o nível do óleo, a calibragem dos pneus, os freios e os níveis do fluido da transmissão. Também é fundamental manter o motor bem lubrificado e substituir os filtros de ar”, destaca Laures.

  • Mantenha uma velocidade constante e evite frenagens bruscas

A aceleração abrupta e excessiva, assim como a frenagem brusca contribuem significativamente para um alto consumo de combustível. “Sempre oriento os motoristas  a manter uma velocidade constante, especialmente ao sair de um semáforo ou de uma vaga de estacionamento. O ideal é acelerar gradativamente, permitindo que o veículo desenvolva velocidade de maneira suave”, explica. “A frenagem brusca também é contraindicada, pois, além do risco de colisão traseira, o motorista acaba por frear e acelerar o carro continuamente, exigindo que o veículo saia da inércia mais vezes e consumindo mais gasolina”, complementa. A indicação é analisar o trânsito de maneira panorâmica e abrangente, antecipando possíveis frenagens e avaliando todos os automóveis ao seu redor, mantendo a velocidade e a rotação do motor o mais constante possível. “Essa direção atenta e defensiva, além de economizar combustível, preserva as peças do carro, como pastilhas de freios e lonas.” 

  • Existe marcha ou velocidade indicada?

Segundo o especialista, não há uma marcha que gaste mais ou menos combustível. “Esse entendimento é um mito. O que gasta combustível é a forma que se dirige. Por exemplo, um motorista que demora para fazer a troca de marchas, mesmo na terceira marcha,  terá um consumo maior de combustível”, afirma. Em outras palavras, a troca de marchas deve ser realizada no tempo e na rotação adequados, considerando as características do motor e do veículo. 

  • A subida é mais “sofrida” para o carro? 

Em subidas, diversos aspectos influenciam no consumo excessivo de combustível, sendo o peso e a carga do veículo os principais. Cabe destacar que cada modelo de carro comporta uma capacidade de carga que pode transportar, descrita no manual do automóvel. “Um carro mais pesado vai “beber” mais gasolina, é claro. Por isso, sempre indico dirigir  na faixa de 3.000 a 4.000 RPM, mantendo uma aceleração constante, o que auxilia em momentos que demandam mais do veículo”. 

  • Desligue o motor do carro (às vezes!)

O especialista indica que, em paradas acima de um minuto, é possível desligar o motor do veículo para economizar combustível. No entanto, em casos de paradas rápidas, como em semáforos, não vale a pena desligar o motor. “A partida inicial sobrecarrega o sistema de ignição do veículo e diminui a vida útil do motor de arranque”, explica Laures. 

  • Atenção com o ar-condicionado e dispositivos eletrônicos

O uso do ar-condicionado e dispositivos eletrônicos, como faróis auxiliares e limpadores do para-brisa, deve ser moderado, pois contribuem para o consumo de combustível.  “Quanto mais dispositivos elétricos estiverem sendo utilizados, mais o veículo buscará energia de bateria, consumindo mais combustível”, destaca. 

  • Qual gasolina escolher?

O mercado hoje oferece diversos tipos de combustíveis no posto e muitos motoristas desconhecem as especificidades de cada um e o que cada automóvel demanda. “A diferença entre os combustíveis é simples: a gasolina comum não possui aditivos de limpeza, ao passo que a gasolina aditivada contém alguns detergentes adicionados ao combustível. Já as gasolinas premium e a podium trazem componentes de limpeza especiais e são indicados para veículos de alto rendimento, aproveitando assim a potência do motor”, detalha Laures. Todavia, isso não proíbe que carros com potência menor abasteçam com gasolinas especiais. A indicação é apenas não trocar repentinamente o combustível, mas, sim, de maneira gradativa, não prejudicando o rendimento do motor. Ainda, vale abastecer em postos de confiança: postos de marcas desconhecidas e/ou com valores muito inferiores aos aplicados pelo mercado devem ser evitados.

Turismo sobre rodas: locação de carros é alternativa ideal e econômica para férias de fim de ano

O aumento do turismo doméstico registrado em julho deste ano favoreceu o aluguel de carros, apresentando um aumento de 15% a 20% na procura pela locação em comparação com a baixa temporada, conforme dados da ABLA. As projeções para as férias e festas de fim de ano são ainda mais positivas. “O aumento considerável nos preços das passagens aéreas tem incentivado o uso do carro para viagens domésticas de médias distâncias”, explica o coordenador de operações do V1, Thiago Pinheiro. 

O aplicativo de mobilidade urbana V1 destaca-se pelos diferenciais de praticidade e agilidade no cadastro do motorista, agendamento e pagamento antecipado, todos realizados de forma 100% on-line, sem burocracias e intermediação de terceiro. A empresa conta com o maior número de pontos de atendimento na cidade, totalizando 20 estações com alta disponibilidade de veículos. Isso proporciona comodidade e praticidade na retirada e devolução do veículo, garantindo a proximidade das estações com os usuários. 

Devido à alta demanda de locações para o fim do ano, a orientação é antecipar o agendamento. “Temos hoje na frota de Curitiba aproximadamente 80 veículos em diferentes categorias, como Kwid, Gol, Voyage, Onix Sedan, Renegade, Spin e T-CROSS. Nossos clientes conseguem agendar e locar automóveis por toda a cidade, já que estamos situados em diversos bairros, como: Centro, Rebouças, Prado Velho, Batel, Champagnat, Vila Izabel, Tarumã, Pinheirinho, Água Verde, Boqueirão, Bacacheri, Novo Mundo e regiões metropolitanas, como Pinhais e São José dos Pinhais. Por mais que o V1 tenha a funcionalidade de locação e retirada imediata do automóvel, indicamos agendar e garantir o seu carro nestas festas de fim de ano, que são mais concorridas”, finaliza Thiago. 

 

Sobre o V1

O V1 é uma plataforma de mobilidade urbana que atua no aluguel e assinatura de carros de forma 100% digital, para uso pessoal e empresarial.  Oferece soluções em gestão de frotas terceirizadas para empresas, fleet service, traslado de pessoas e outras demandas personalizadas. Considerado um dos maiores players do setor no país, o V1 faz parte do Grupo Águia Branca e atua nas cidades de Vitória (ES) e Curitiba (PR). O app está disponível na Apple Store e Google Play.


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Notícias Relacionadas »
Quer anunciar e
posicionar melhor
sua marca?
Clique para
divulgar já!🤝
Atendimento
Fale conosco pelo WhatsApp agora!